No dia 30 de março, no Auditório do Ministério da Educação (MEC) em Brasília, ocorreu a cerimônia de lançamento do Anel Educacional, infraestrutura de alta disponibilidade, com capacidade e segurança para atender a demanda de vários dos sistemas críticos das instituições ligadas ao MEC.

Criado a partir de uma iniciativa do MEC em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) e a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), o Anel Educacional é uma infraestrutura de fibra óptica dedicada ao ensino e pesquisa do país, interligando as principais instituições, dentre elas o próprio Ministério, a UnB, a RNP, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), e a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Situado em Brasília, o Anel Educacional faz parte da GigaCandanga, e possui 32 km de extensão com velocidade de 40 Gbps. A rede proporciona a transmissão de dados entre as instituições de forma rápida e segura, e abre possibilidade para grandes melhorias nos sistemas digitais de ensino e pesquisa, evitando pontos de congestionamento. Entre as grandes vantagens, o Anel Educacional disponibiliza internet em sua rede de dados, trazendo benefícios econômicos às instituições participantes. Além de possuir infraestrutura própria e independente, a rede possui um sistema de redundância, utilizando um anel secundário com capacidade de 10 Gbps em caso de falha ou manutenção do primeiro.

Estiveram presentes no evento diversas autoridades, dentre elas a Secretária Executiva do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Sra. Emília Curi, o Diretor da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Dr. Nelson Simões, e os diretores das Instituições participantes do Anel Educacional. Durante a cerimônia, o presidente do Comitê Gestor da rede GigaCandanga, professor Leonardo Lazarte, fez um breve relato sobre o histórico e os processos de evolução do projeto para a implantação do Anel Educacional.

Segundo o Diretor Adjunto de Gestão de Soluções da RNP, Antônio Carlos Fernandes Nunes, é uma infraestrutura que vem ampliar a capacidade e disponibilidade de sistemas críticos das suas instituições participantes. Programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e o Fundo de financiamento estudantil (Fies) se beneficiarão, garantindo a disponibilidade dos portais e possibilitando milhares de acessos simultâneos.

Para o representante do Comitê Técnico da GigaCandanga, professor André Drummond, o Anel Educacional permite o compartilhamento da infraestrutura, descentralizando os centros de dados, evitando a ociosidade de equipamentos utilizados somente em momentos de pico e não ocorrendo sobrecarga de dados em nenhuma instituição.

A GigaCandanga será responsável pelo gerenciamento e operação da infraestrutura, monitorando o tráfego e recepção de dados entre as instituições participantes, e dará suporte e manutenção às fibras ópticas e equipamentos necessários para o funcionamento da rede.